Monday, July 25, 2011

Art Attack


Keith HaringArt Attack on Aids, 1988


[http://www.kmfinearts.com]

Sunday, July 24, 2011

#Listening to Julianna Barwick and Ikue Mori, FRKWYS Vol. 6


Frkwys Vol. 6 (mp3 version, via emusic), four pieces composed and performed by Julianna Barwick and Ikue Mori as part of a month-long installation curated by RVNG Intl. at White Columns gallery, New York.

Julianna and Ikue's improvised performances were cut live to vinyl via portable lathe and then released as a limited edition LP with pieces from two different collaborations.

Wednesday, July 20, 2011

Kraftwerk - TV Documentary 2001

Tuesday, July 19, 2011

Fire!, Jazz em Agosto

Caution! 'Fire!' will ignite in Lisbon, next August!

Fire!, o explosivo trio do Sueco Mats Gustaffson na última noite da extensão para o Teatro do Bairro da edição 2011 do Jazz em Agosto. Rock e improvisação em combustão acelerada dão origem a novas formas da matéria sonora. Jazz. Visceral.

Quinta, 11 Ago 2011, 22:00 - Teatro do Bairro

MATS GUSTAFSSON(sax tenor, barítono, piano eléctrico Fender, electrónica)
JOHAN BERTHLING (contrabaixo, baixo eléctrico)
ANDREAS WERLIN (bateria)

Kahimi Karie & Jim O'Rourke - Furaibo - Hosono Tribute

Ingrid Laubrock Anti-House, Jazz em Agosto 2011

Segunda noite da edição 28 do Jazz em Agosto, Ingrid Laubrock Anti-House.
Quinteto de virtuosos com três regressos à Fundação Gulbenkian: a líder do projecto, saxofonista Alemã residente em Nova Iorque, Ingrid Laubrock ( 2010, projecto Sol 6 de Luc Ex e Veryan Weston), o seu marido Tom Rainey, baterista que tocou em 2006 em trio com Nels Cline e Andrea Parkins e inserido no projecto Rova::Orkestrova, Electric Ascension, e ainda a guitarrista americana Mary Halvorson (2008,Taylor Ho Bynum Sextet). O colectivo Anti-House fica completo com o contrabaixo de John Hébert e o pianista Kris Davis.


Partindo do registo editado em 2010 pela insuspeita Intakt Records, podemos adivinhar que a noite do primeiro Sábado do JeA 2011 vai fascinar o auditório ao ar livre, nos jogos de fuga entre guitarras inspiradas em Derek Bailey e corroídas por Jimi Hendrix, e saxofones de Evan Parker a desafiar Steve Lacy. A dupla de instrumentistas virtuosas Mary Halvorson e Ingrid Laubrock irão liderar, rasgando horizontes para as texturas do piano de Kris Davis e deambulações rítmicas de Tom Rainey e John Hébert.
Novos caminhos do Jazz ficarão a descoberto, justificando o convite permanente do festival programado por Rui Neves.

Sábado, 6 Ago 2011, 21:30 - Anfiteatro ao Ar Livre

"Few saxophonists possess Laubrock's encyclopaedic vocabulary, and even fewer can move around in it with such ease or such eloquence". (All About Jazz)

Oh  Yes!

Wednesday, July 13, 2011

John Hollenbeck Large Ensemble, Jazz em Agosto 2011

Começar pelo fim, numa contagem decrescente para a edição 28 do Jazz em Agosto. Última noite, a acontecer no segundo Domingo do festival da Fundação Gulbenkian, dia 14 de Agosto, com o John Hollenbeck Large Ensemble. A força e grandiosidade de uma Big Band do século XXI, para o encerramento apoteótico da edição 2011 do mais emblemático festival de Jazz em Portugal.

John Hollenbeck, baterista, percursionista e compositor, regressa ao Jazz em Agosto, depois de ter estado em 2006 com o seu projecto The Claudia Quintet (John Hollenback, Drew Gress, Matt, Ted Reichman e Chris Speed).

Um desafio para uma noite que corre o risco de se tornar épica, preenchida com uma música maior, que convida e aspira o infinito. Encerrará o festival, enquanto abre universos ficcionais imprevisíveis a qualquer um dos ouvintes.

Marquem na agenda. Arrisquem.

Domingo, 14 Ago 2011, 21:30

Sunday, July 10, 2011

Rencontres d'Arles: Enrique Metinides

Enrique Metinides, 1979
"J'ai photographié mon premier cadavre avant 12 ans. Mon père m'avait donné un appareil photo. Je traînais dans la rue à la recherche d'accidents. Comme j'étais un gamin, la police me laissait passer. Un jour, j'étais sur place avant un photographe de La Prensa, il m'a demandé si je voulais travailler avec lui, j'ai dit oui. Je suis devenu son assistant. A l'époque, je voyais au moins trente cadavres par jour. Je m'y suis habitué."



Le Monde: Enrique Metinides, l'œil de sang de Mexico